SIGA-NOS NA PÁGINA DE FÃS FAÇA GOSTO

ACHOU O SITE INTERESSANTE?FAÇA G+1

Marque Consulta

Psicoterapia Lisboa

Ligue
914375055
ou Preencha o Formulário



Valores Consulta Psicologia e Psicoterapia

Psicoterapia Individual Adultos:

€35 das 10h às 21h

Terapia de Casal

€40 das 10h às 21h



Dr. Pedro Albuquerque
Diretor Clínico
Psicólogo Clínico Adultos
Terapeuta Casal

ansiedade


Sintomas da Ausencia de Desejo Sexual

A ausência de desejo sexual pode ser generalizada quando a pessoa não têm apetite sexual em quaisquer circunstâncias, ou poderá ser específica de certas situações ou com parceiros específicos, neste caso, é considerado como sendo do tipo situacional. Por exemplo, uma pessoa poderá sentir desejo para com um parceiro com quem tenha tido um caso, mas não com o parceiro estabelecido.
É importante notar que os homens com desejo sexual inibido parecem fantasiar de forma diferente em relação às mulheres com o mesmo problema. As mulheres com problemas de desejo mostram níveis baixos de fantasia, enquanto os homens mostram um elevado nível de fantasia sexual. Os homens podem utilizar as fantasias sexuais para aumentar a performance sexual devido à ansiedade. A ansiedade de reacção à actividade sexual é experienciada quando existe uma grande pressão para sentir excitação sexual, mas esta não surge. As fantasias sexuais podem ser construídas para gerar excitação sexual que é difícil obter sem o uso das fantasias.

Conselho do Psicologo

Estatísticas sobre a Ausência de Desejo Sexual

O Síndrome de Desejo Hipoactivo é um dos problemas mais comuns que surge nas consultas de terapia sexual. Estima-se que cerca de 20% dos homens e 33% das mulheres tenham problemas de baixo ou nulo desejo sexual.

Psicoterapia na Ausência de Desejo Sexual

A terapia sexual deve ter em conta uma variedade de factores relacionados com a pessoa e o casal, tais como:

Nível de intimidade emocional

Saúde mental e física

Contexto sexual

Preocupações ou problemas no relacionamento

Pensamentos durante as relações sexuais

Mensagens provenientes das famílias de origem

Desejo Sexual & Psicoterapia

Características Principais da Ausência de Desejo Sexual

Este problema pode estar presente quando uma pessoa tem poucas fantasias sexuais e um reduzido ou ausente desejo para as relações sexuais. Nesta situação, a pessoa tem grande dificuldade para iniciar a relação sexual, podendo demorar mais a responder às investidas sexuais do seu parceiro. Este problema da sexualidade pode estar presente na adolescência e pode persistir ao longo da vida adulta de uma pessoa. Na maioria das vezes, o reduzido desejo sexual ocorre durante a fase adulta, geralmente após um período de stress.

A característica principal do Síndrome de Desejo Hipoactivo é uma ausência de fantasias sexuais e de desejo pela actividade sexual. Este problema causa habitualmente uma angústia imensa e uma dificuldade na relação com a outra pessoa.

A investigação mostrou que o desejo sexual assume a forma de fantasias sexuais, desejos e a vontade de ter experiências sexuais, ou seja “desejo espontâneo” para a relação sexual. Verificou-se que este desejo espontâneo não é frequente em muitas mulheres sexualmente activas, especialmente naquelas que estão em relacionamentos. Reconhece-se agora que o desejo sexual pode ser uma resposta, ocorrendo após a excitação e estimulação física, em vez de ser um acontecimento espontâneo antes da excitação, tal como acontece na maioria dos homens. Para muitas mulheres, parece que a excitação sexual e um tipo de resposta de desejo podem ocorrer a qualquer altura após terem escolhido experienciar estimulação sexual.

Além disso, estudos confirmaram que as mulheres aceitam ou iniciam maioritariamente a relação sexual por motivos que não sejam o desejo, como para aumentar a ligação emocional, ou como reacção a temas românticos ou deixas eróticas mais específicas.

O Síndrome de Desejo Hipoactivo é caracterizado pela ausência ou diminuição de sentimentos de interesse ou desejo sexual, ausência de pensamentos ou fantasias sexuais, e uma ausência de desejo espontâneo. A motivação para ficar sexualmente excitada é inexistente, ou quase. A falta de interesse é considerada como estando para lá da diminuição normativa com o ciclo da vida e a duração dos relacionamentos.

Factores de Risco para a Ausência de Desejo Sexual

Os factores de predisposição para a ausência de desejo sexual surgem de quatro grandes áreas:

  • A pessoa
  • A família de origem (factores transmitidos através das gerações)
  • A relação do casal
  • Aspectos médicos
Factores de risco relacionados com a Pessoa

Os factores de risco psicológicos podem ser expressos no contexto da intimidade sexual, aumentando a probabilidade do desenvolvimento da ausência de desejo sexual. Estes são:
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Conflitos de orientação sexual
  • Padrões negativos de pensamento
  • Crenças erradas sobre o sexo
  • Imagem corporal negativa
  • Stress profissional
  • Problemas sexuais relacionados
Os medos podem também aumentar o risco de desenvolver ausência de desejo sexual, uma vez que a intimidade emocional e física estão relacionados de formas muito próximas. O desejo sexual pode ser afectado por um medo de intimidade, sentimentos de revolta, rejeição e abandono e receio de exposição da intimidade.

Os factores físicos, como o abuso sexual ou trauma emocional, contribuem significativamente para a inibição do desejo sexual.

Factores de risco relacionados com a família de origem e transmitidos através das gerações

Muitas crenças acerca do sexo (ideias, opiniões, formas de pensar e acreditar acerca da sexualidade) são aprendidos no contexto familiar. Por exemplo, se a pessoa for criada num lar extremamente religioso, poderá aprender que o sexo serve para procriar e não para obter prazer e satisfação. Isto pode levar a sentimentos de culpa e vergonha, diminuição das fantasias e do desejo sexual.

Factores de risco relacionados com a vida íntima do casal

A forma como uma pessoa está satisfeita e feliz com a relação está relacionada com a satisfação sexual. Por exemplo, as pessoas que referem um maior grau de insatisfação da coesão relacional, menor partilha, dificuldade em serem compreendidas e falta de carinho e cedência, referem também níveis maiores de angústia conjugal e menor desejo sexual.

Outros factores de risco podem incluir:
  • Sentimentos de desdém por parte de outro
  • Depressão
  • Crítica negativa por parte do outro à sua forma de ser e sentir
  • Dificuldade em confiar no outro
  • Dificuldades de comunicação entre o casal
Factores de risco relacionados com aspectos médicos

Os deficits na testosterona ou outras hormonas e os problemas médicos que criam desequilíbrios hormonais, têm impacto no desejo sexual. Os problemas médicos crónicos, mudanças fisiológicas e a medicação também contribuem para a ausência de desejo sexual. Nomeadamente:
  • Depressão
  • Medicação
  • Doenças crónicas debilitantes, como insuficiência renal crónica
  • Flutuações no nível de açúcar no sangue devido a diabetes

Psicoterapia na Ausência de Desejo Sexual: Intimidade emocional

A intimidade emocional é um impulsionador legítimo para experienciar o desejo sexual. Cerca de metade das mulheres acreditam que intimidade emocional insuficiente é um factor relevante para o seu baixo desejo.

A intimidade emocional de um casal inclui questões sobre a capacidade de confiar, estar vulnerável, não ser alvo de críticas ou de julgamento e ter um equilíbrio de poder e assertividade na relação que seja sexualmente atraente. Se existe um grande desejo e reacção com um novo parceiro, o desafio pode ser o de lembrar os comportamentos e atmosfera interpessoal que primeiro levaram ao desejo pelo parceiro estabelecido.

Psicoterapia na Ausência de Desejo Sexual: Saúde mental e física

Perceber o bem-estar na altura da relação sexual é fundamental. Isto inclui os níveis de energia, auto-estima, sensação de ser atraente, imagem corporal e presença de distracções ou preocupações stressantes.

A depressão está altamente associada a uma redução na resposta sexual. Os antidepressivos, especialmente aqueles que são altamente serotoninérgicos, podem reduzir o desejo sexual. Vários problemas médicos podem também ter impacto no nível de desejo de uma pessoa.

Psicoterapia na Ausência de Desejo Sexual: Contexto sexual

É muito importante perceber o contexto em que decorre a relação sexual, nomeadamente:
  • Altura do dia
  • Tempo desde a última relação sexual
  • Como é o relacionamento antes do encontro sexual
  • O que cada um precisa depois da actividade sexual

Psicoterapia na Ausência de Desejo Sexual: O casal

Para uma sexualidade satisfatória é necessário perceber a ligação emocional do casal, a forma do casal comunicar entre si, o nível de discórdia e cedência, a forma como o casal resolve os conflitos e a forma como define problemas e prioridades no casal.

É fundamental que cada elemento do casal se aperceba do que é importante para que o outro se sinta bem emocionalmente, ou seja, o que é necessário e o que precisam de fazer para estarem felizes.

Psicoterapia na Ausência de Desejo Sexual: Pensamentos durante a relação sexual

É importante abordar a capacidade da pessoa para se focar na relação sexual de modo a que a sua mente não seja invadida por outros pensamentos que afastam as fantasias e que comprometem o desejo sexual. Os pensamentos mais comuns que provocam diminuição de desejo sexual são:
  • Stress
  • Ressentimento
  • Sensação de obrigação no que diz respeito à frequência das relações sexuais
  • Antecipação de resultados negativos consequentes da relação sexual, como seja uma gravidez indesejada, ou constatação de infertilidade, ou falta de satisfação sexual